SEMINARIOS E PALESTRAS

AGENDE UMA PALESTRA OU UM DE NOSSOS SEMINARIOS EM SUA IGREJA:

1.SEMINARIO " O PLANO DIVINO PARA A FAMILIA"
2.SEMINÁRIO "BASES SÓLIDAS PARA UM CASAMENTO FELIZ"
3.SEMINÁRIO "SOLUÇÕES PARA OS CONFLITOS CONJUGAIS E FAMILIARES"
4.SEMINÁRIO "VENCENDO AS BATALHAS ESPIRITUAIS"
5.SEMINÁRIO INTENSIVO DE EVANGELIZAÇÃO
6.SEMINÁRIO DE LIDERANÇA MINISTERIAL
7.PALESTRAS PARA HOMENS,PARA JOVENS,PARA CASAIS,ETC.

A VOSSA DISPOSIÇÃO ATRAVÉS DO E.MAIL -vcamposrocha@gmail.com

ou deste blog.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Nas questões relacionadas a   homossexualidade,existem:

Os simpatizantes: São aqueles  que apóiam, que concordam.
Os passivos: São os famosos “enrustidos” muitas  vezes a  espera de oportunidade  para  manifestarem seus desvarios.Porém, nem sempre o fazem por causa da família,da igreja ou do emprego.
Os ativos: são os praticantes.
Portanto, qualquer que seja a forma , todas elas são abomináveis aos olhos  de Deus.
Veja bem esta sequencia na Bíblia Sagrada: Gn.1:27  - 2:18 – 2:24 – 3:16 –
Rom.1:24-32

 Se não há amor entre pessoas do mesmo sexo, então o que há?                                                                                           
Segundo a Palavra de Deus, é a operação do  erro em evidência –II   Tess.2:11,é o engodo da própria concupiscência (apetite carnal  desordenado) Gl.5:16. É a verdadeira prática da paixão infame. Rom.1:24,26-32

Em tais casos o que a Lei de Moisés determinava?
Tamanha era a abominação que a Lei mosaica determinava a  pena de  morte: Adultério, Lv.21:10 – Dt.22:22      
Estupro, Dt.22:23-27                                                    
Promiscuidade, Dt.22:13-21
Sodomia (homossexualismo),Lv.20:13
Bestialidade, Lv.20:15,16       
Casamentos  incestuosos,Lv.20:11,12,14

 A união entre duas pessoas do mesmo sexo, mesmo com
 amparo  da lei não constitui uma família de acordo com
 a Bíblia sagrada?

    Segundo a Palavra de Deus, não! As leis humanas não sobrepujam as leis divinas. O casamento é o meio legal que formaliza a união legítima entre um homem e uma mulher. Gn.2:18,24 – É esta união que forma uma família em conformidade com a Palavra de Deus.Não é pelo fato de duas pessoas morarem sob o mesmo teto,dormirem juntas e se comportarem como um casal normal que os torna uma família.Familia é muito mais do que isto. Familia fala de amor conjugal, de procriação, de ampliação dos laços familiares.  Quando  duas  pessoas do mesmo sexo se unem elas tem sogros? Cunhados? Sobrinhos? Geram filhos? Amamentam? Quais são seus conceitos de moralidade?  Pense: Se houvesse uma inversão total e só existissem casamentos entre pessoas do mesmo sexo, como ficaria a humanidade?

Isto não é discriminação?
Não. Nesta questão não estamos tratando do indivíduo e sim de suas  ações. A igreja em  todas  épocas e circunstancias obedece aos princípios bíblicos.Homem é homem,mulher é mulher,independente de suas opções sexuais.Não existe o terceiro elemento.


Qual a diferença entre homofobia e discriminação?
Discriminar é tratar de modo  diferente,fazer distinção,por motivos religiosos,tradição familiar,social,cor,nacionalidade,opção sexual,etc.
 A  homofobia (homo= igual, fobia=do Grego φόβος "medo"), é um termo utilizado para identificar o ódio, a aversão ou a discriminação de uma pessoa contra homossexuais e, consequentemente, contra a homossexualidade, e que pode incluir formas sutis, silenciosas e insidiosas de preconceito e discriminação contra homossexuais.
Este  termo é um neologismo criado pelo psicólogo George Weinberg, em 1971, numa obra impressa, combinando a palavra grega phobos ("fobia"), com o prefixo homo-, como remissão à palavra "homossexual".
Phobos (grego) é medo em geral. Fobia seria assim um medo irracional (instintivo) de algo. Porém, "fobia" neste termo é  empregado, não só como medo geral (irracional ou não), mas também como aversão ou repulsa em geral, qualquer que seja o motivo.
Etimologicamente, o termo mais aceitável para a idéia expressa seria "Homofilofóbico", que é medo de quem gosta do igual.
Uma pessoa que fez troca de sexo pode ser consagrada ao ministério?
Observando-se os requisitos da Palavra de Deus, tanto no Velho como no Novo Testamento, não é possível. No livro de Levítico,no capítulo21,entre os versículos 1 a 24 temos as exigências de Deus para que o homem (não mulher) fosse separado para a função sacerdotal.No Novo Testamento,o Apóstolo Paulo escrevendo a seu discípulo Timóteo também nos dá todas as orientações de como deve ser o homem para ser consagrado ao santo ministério.I Tm.3:13.

Como a Igreja deve agir com a pessoa que fez troca de sexo?

A pessoa deverá provar ao Ministério da igreja local a razão por que fez isto. Nos casos de hemafroditismo, é a pessoa que sofre com tal deformidade é quem deverá optar com qual sexo irá continuar. Nos casos contrários, certamente a pessoa deverá ser chamada pelo nome original e tratada como tal. Se é homem, como homem, se é mulher como mulher. Tratando-a com brandura e paciência.

pr.Valdemir Campos Rocha
Postar um comentário